O Instituto Trata Brasil com o apoio da Rede Pacto Global e com parceria com a GO Associados lançou um novo estudo, intitulado, “Perdas de Água: Desafios ao Avanço do Saneamento Básico e à Escassez Hídrica” no último dia 07 de junho de 2018.

A pesquisa tem como fundamento os dados mais recentes do Ministério das Cidades, especificamente no Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS – ano de referência 2016), incluindo perdas na distribuição e faturamento.

Além dos dados nacionais, o estudo apresenta uma comparação internacional da porcentagem de água potável que os países, incluindo o Brasil, perderam nesses anos. Mesmo com possíveis diferenças de critério, é possível constatar que o Brasil se encontra muito distante dos países mais avançados; aqueles que possuem níveis de perdas inferiores a 20%.

A divulgação do estudo foi realizada no auditório da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na avenida paulista, em São Paulo.

Édison Carlos, Pedro Scazufca e Gesner Oliveira apresentaram a metodologia o estudo de perdas e os principais dados que foram abordados no estudo. Já o segundo painel contou com uma roda de discussão com perguntas da plateia.

O evento contou com a presença de Édison Carlos – presidente executivo do Trata Brasil, que foi um dos palestrantes, Gesner Oliveira – coordenador da pesquisa, Pedro Scazufca – pesquisador, Carlo Pereira – Rede Pacto Global, Paulo Tinel – PCJ, Bernardo Oliveira da WWF, Wagner Freitas da Abiquim, Adriana Leles – Sanepar e André da Braskem.

O estudo completo está disponível no link: http://tratabrasil.org.br/estudos/estudos-itb/itb/perdas-de-agua-desafios-para-disponibilidade-hidrica-e-avanco-da-eficiencia-do-saneamento-basico

Veja as fotos

O Instituto Trata Brasil desde 2016 auxiliou na coordenação do Tema ‘2. Pessoas’ e as sessões oriundas sobre água, que renderam três painéis posteriormente. Mais precisamente estivemos envolvidos no tópico 2.2 Água Como um Direito Humano, que teve a mediação do Léo Heller, Relator Especial para Assuntos de Água e Saneamento Básico da ONU. Durante o 8º Fórum Mundial da Água, de 19 a 23 de março, o Instituto Trata Brasil participou da relatoria desta sessão, que recebeu palestrantes do Egito, Nepal, Suécia e Brasil, para discutir a viabilidade do acesso à água para pessoas classes mais vulneráveis. O relatório apontou a necessidade das entidades internacionais buscarem aproximações com os governos de seus países para que a água seja garantida por meios de Constituição como um Direito Humano, uma vez que já há reconhecimento da ONU para tal.

Ainda no Fórum Mundial da Água, em Brasília, o Instituto Trata Brasil esteve representado pelo presidente executivo, Édison Carlos, em palestras sobre o acesso ao saneamento básico promovido pela Petrobrás, Coca-Cola Brasil e BRK Ambiental, na feira técnica. Os encontros contaram com participação de estudantes, profissionais do setor, jornalistas e interessados no assunto. Foi alertado de que os atuais ritmos de investimentos e obras do setor no país não serão suficientes para atender toda a demanda dos brasileiros até 2030 como almeja as metas do Objetivo do Desenvolvimento Sustentável – ODS.

Veja as fotos

Cenário do saneamento básico é tema de mesa redonda no lançamento do estudo “Saneamento em Áreas Irregulares nas grandes cidades brasileiras”

O Instituto Trata Brasil lançou no dia 16 de maio de 2016, em parceria com a Subcomissão Especial da Universalização do Saneamento Básico da Câmara dos Deputados, e o Grupo de Economia da Infraestrutura & Soluções Ambientais da FGV, o estudo “Saneamento Básico em Áreas Irregulares nas Grandes Cidades Brasileiras” no auditório da FGV Berrini em São Paulo.

O estudo conta com uma análise objetiva que identificou a percepção dos prestadores de serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário acerca da problemática do saneamento básico dos assentamentos irregulares em 63 dos 100 maiores municípios do País que aderiram a pesquisa.

O evento contou com uma mesa redonda formada por autoridades do setor, que promoveu discussões sobre o cenário do saneamento no país, e focou nos desafios que enfrentaremos até que a universalização seja efetiva. Entre as autoridades:

Jerson Kelman (Sabesp), Roberto Tavares (AESBE), Dep. João Paulo Papa (Comissão Desenvolvimento Urbano da Câmara dos Deputados, Dante Ragazzi (ABES) e Alceu Galvão (autor estudo), Roberto Muniz (ABCON), Padre Manoel Quinta (CNBB), Prefeito Márcio Lacerda (Frente Nacional dos Prefeitos), Dr. Tatiana Barreto (Ministério Público), Dep. Papa, Gesner Oliveira (FGV) e Malu Ribeiro (SOS Mata Atlântica).

O estudo foi divulgado durante o evento. O diagnóstico apresentado está disponível no link:  http://www.tratabrasil.org.br/areas-irregulares

 

   

O evento "Avanços em Saneamento Básico - Exemplos mostram que a universalização é possível" foi transmitido ao vivo direto do Auditório Itaú-FGV. Você pode rever a transmissão no player abaixo. As apresentações expostas no evento estão disponíveis para download também.

(11) 3021-3143
tratabrasil@tratabrasil.org.br
Desenvolvido por DMSNet