Cascavel

Cascavel, no Paraná, aparece na 7ª posição no Ranking do Saneamento Básico de 2020 com foco nas 100 maiores cidades do Brasil, e é um dos municípios com maior evolução no índice de esgoto tratado sobre água consumida.
O abastecimento de água chega a 99,99% da população. O município realiza coleta de esgoto de 99,99% dos habitantes e 100% do volume do esgoto é tratado.

  Indicador de atendimento total de água (%) Indicador de atendimento total de esgoto (%) Indicador de Esgoto Tratado por água consumida (%)
2014 99,45 77,94 83,01
2015 99,98 93,26 89,57
2016 99,99 100 94,57
2017 99,99 99,99 99,30
2018 99,99 99,99 100

O INSTITUTO TRATA BRASIL ENTREVISTOU A COMPANHIA ESTADUAL DE SANEAMENTO BÁSICO DO PARANÁ, SANEPAR, RESPONSÁVEL PELOS SERVIÇOS NO MUNICÍPIO. LEIA NA ÍNTEGRA:

Que esforços foram feitos na gestão do saneamento local que fez com que se chegasse a esta posição tão boa?  

Os esforços aumentaram com a renovação do contrato entre o município e a Sanepar, em 2004. Pela nova parceria, o município solicitava que Cascavel saísse dos 44% de atendimento com a rede coletora para 90% no ano de 2021. Outra reinvindicação era a manutenção de 100% de cobertura da rede de água no perímetro urbano e também para 100% dos moradores dos distritos administrativos de São João, Juvinópolis e Rio do Salto. Em março de 2014, o índice do sistema de coleta e tratamento do esgoto alcançou 91%, antecipando a meta contratual. Hoje, a cidade tem mais de 98% de cobertura com a rede coletora de esgoto na área urbana do município. Novas redes estão sendo implantadas e outras estão sendo projetadas para que a cidade rume à universalização dos serviços de saneamento.

- O que você destacaria como os fatores mais importantes para esse avanço?

Para fazer frente ao crescimento da cidade, a Sanepar não para e mantém investimentos permanentes. O sistema de abastecimento de água está recebendo investimentos de R$ 80 milhões. Estão em andamento uma nova captação de água, no Rio São José, e a ampliação do sistema de tratamento. Novos reservatórios estão sendo construídos para garantir fornecimento de água nos horários de maior consumo.

O gerente geral Sudoeste, Renato Mayer Bueno, destaca que um dos fatores determinantes para o avanço no saneamento é a localização de Cascavel no ponto divisor de três bacias do Estado do Paraná: a do Rio Piquiri, a do Paraná 3 e a do Baixo Iguaçu. “Milhares de nascentes estão na área urbana do município, e o lençol freático é bastante raso, exigindo maior rigor ambiental. A cidade também se destaca por seu crescimento exponencial e desenvolvimento econômico. Isso tudo fez com que o Município e a Sanepar dirigissem esforços para ampliar e/ou manter os indicadores de água e esgoto na cidade”, explica. O gerente lembra ainda que, desde 2004, a legislação municipal exige que todos os novos loteamentos tenham rede de distribuição de água e rede de coleta de esgoto.

A Sanepar tem no seu propósito a saúde e a sustentabilidade para a sociedade, cumprindo a missão de assegurar os serviços de saneamento ambiental de forma inovadora e contribuindo para o desenvolvimento econômico e sustentável.

O principal foco é não passar nenhum ano sem implementação de políticas diretamente relacionadas ao fornecimento de água e ao esgotamento sanitário. E, principalmente, atender a legislação federal e a legislação municipal que rege os loteamentos e exige infraestrutura. “Esse é um ponto forte. O outro é que os investimentos têm de ter regularidade e continuidade para garantir atendimento a toda população”, reforça Bueno. A Sanepar além de captar recursos nos organismos financeiros direciona recursos próprios no saneamento de Cascavel.

 

- Quais tipos de problemas identificaram em relação ao saneamento básico da cidade? Como resolveram para chegar nos indicadores atuais?

Os principais entraves estão relacionados com as bacias hidrográficas dos corpos receptores. São rios com pouca vazão, pequenas bacias, que dificultam colocar em operação adequada a estrutura das estações de tratamento. Por outro lado, a regularidade dos investimentos em Cascavel favoreceu para que as quatro sub-bacias tenham quatro estações de tratamento de esgoto na cidade e facilitou a possibilidade de ampliação das redes coletoras em todas as regiões da cidade. Vale destacar que todo o esgoto coletado na cidade recebe tratamento, o que traz benefícios diretos para a saúde da população, para o meio ambiente e para o desenvolvimento da cidade.

Outro fator preponderante para Cascavel está relacionado ao abastecimento de água. Desde o fim da década de 1980, com os investimentos da Sanepar, a cidade alcançou a invejável marca de 100% da população urbana abastecida com água tratada. E isso vem sendo mantido com obras, investimentos e melhorias operacionais. Os projetos e investimentos da empresa vislumbram horizonte de atendimento por pelo menos 30 anos. Por esta razão, além das obras em curso, já estão em desenvolvimento projetos para uma nova captação de água no Rio do Salto para dar continuidade ao atendimento 100%. O abastecimento hoje é feito com a água dos rios Cascavel, Peroba e Saltinho e em mais 16 poços profundos, que captam água do Aquífero Serra Geral. Toda essa estrutura operacional deu suporte para atender a demanda de água em Cascavel.

- Investimentos sem uma boa gestão não trazem resultados. E o oposto? É possível ter sucesso com pouco recurso financeiro?


O gerente Renato diz que todo e qualquer investimento sem uma boa gestão não vai trazer resultado nenhum. Isso começa no projeto que precisa ser eficaz e eficiente. “Essa eficiência precisa também prevalecer nos processos licitatórios das empresas que vão executar as obras. O processo precisa optar por empresas capacitadas, que atendam às legislações, que tenham acervo, corpo técnico e capital para fazer frente aos empreendimentos necessários e clareza nas informações do que se deseja para o atendimento com os serviços de saneamento básico”.

Segundo o gerente, em situação oposta, perdem-se recursos financeiros. “Um péssimo projeto não traz retorno. É imprescindível que haja disponibilidade de recursos nos organismos financeiros e que a empresa gestora do sistema tenha capacidade de endividamento para fazer frente ao grande volume de recursos necessários para dotar a cidade de infraestrutura adequada em saneamento. Para obras em uma cidade como Cascavel, são milhões de reais que precisam da disponibilidade de recursos nos agentes financiadores, de um bom projeto e de capacidade técnica e econômica da instituição tomadora desses recursos. Sem isso, não haverá sucesso em nenhum empreendimento”.

Sem recurso disponível no mercado tanto para uma empresa estatal, quanto para uma empresa privada, não haverá o sucesso que está se desenhando com o marco regulatório do saneamento.

E é possível sim ter sucesso com poucos recursos, desde que para isso sejam feitos pequenos e constantes investimentos capacitando o sistema para atendimento futuro. Hoje, todas as principais cidades das regiões das regiões Oeste e Sudoeste do Paraná, com mais de 20 mil habitantes, contam com esgotamento sanitário implantado e com alto índice de atendimento.

- Como outras cidades podem melhorar os indicadores de saneamento?

Para as demais cidades, a Sanepar tem mantido investimentos permanentes no sistema de abastecimento com recursos provenientes das tarifas. “Esse é o diferencial que faz da Sanepar uma das melhores companhias de saneamento do país”.

Veja as fotos

(11) 3021-3143
tratabrasil@tratabrasil.org.br
Desenvolvido por DMSNet