Inicio
Imprensa
Projeto “Trata Brasil na Comunidade” revela melhorias da qua...

Projeto “Trata Brasil na Comunidade” revela melhorias da qualidade de vida com a chegada do saneamento em comunidade de Porto Alegre

Agosto de 2011_Relatório revela dados inéditos sobre as melhorias trazidas pelo saneamento básico na saúde, educação e renda da população da comunidade Vila Dique

A pesquisa de campo desenvolvida pelo Instituto Trata Brasil na comunidade de Vila Dique, em Porto Alegre, foi aplicada em duas etapas, 2008 e 2011, e levantou dados comparativos sobre momentos distintos da mesma comunidade. Há três anos, os moradores viviam em condições precárias de infraestrutura urbana, tendo, por exemplo, 90% do esgoto doméstico descartado em um córrego da região. Após a liberação dos recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a comunidade começou a ser transferida para um novo bairro, onde passou a ter garantido seu direito aos serviços de saneamento básico, sobretudo com água encanada e rede de esgoto.

O estudo revela que, com a chegada das novas habitações e os serviços de saneamento básico, a qualidade de vida da população melhorou e muito: houve diminuição das hospitalizações e da ocorrência de doenças decorrentes da água contaminada e pelos esgotos, como hepatite A, diarreias, leptospirose, etc. A autoestima da população aumentou, assim como a esperança num futuro melhor. 96% dos moradores atribuíram nota 10 à expectativa de satisfação nos próximos cinco anos.


A relação entre a falta de saneamento básico e a ocorrência de doenças foi mais uma vez confirmada no estudo. Em 2008, quando foi realizada a primeira fase da pesquisa, a comunidade não tinha coleta ou rede de tratamento de esgoto, os resíduos eram jogados no córrego e corriam a céu aberto. Nessa época, 67% dos moradores relatavam que havia muitas doenças no bairro.


Em 2011, a ocorrência de doenças caiu pela metade, de 19% para 8%. As hospitalizações também diminuíram nos últimos anos, passando de 83 para 23 casos. O provimento de serviços de coleta e tratamento de esgoto resultou em forte diminuição, especialmente na incidência de leptospirose e hepatite A.


Em 2008, houve um total de 102 casos de doenças, sendo que desses, 61 eram relacionados à falta de saneamento. Em 2011, o total de casos de doenças foi de 25; uma redução de 75%.


As mudanças estruturais pelas quais passou a comunidade Vila Dique refletiram também na melhoria da satisfação pessoal dos moradores com a vida, no presente e da expectativa para daqui a cinco anos. Em 2008, 54% dos


entrevistados davam notas 8 e 9 para sua satisfação com a vida. Em 2011, esse número passou a 78%.
A conquista do trabalho com carteira assinada foi outra melhoria apontada pela população da Vila Dique passando de 33% em 2008 para 50% em 2011, com conseqüente diminuição do número de pessoas que trabalham como autônomos, que caiu de 57% para 46%.


Para Édison Carlos, Presidente do Instituto Trata Brasil, os resultados da pesquisa de campo confirmam os benefícios da expansão do saneamento básico: 'Neste projeto piloto ficou evidente que uma comunidade, ao ganhar acesso aos serviços básicos de saneamento básico, afasta as doenças e também ganha em qualidade de vida, educação e renda. O resultado comprova que a expansão do saneamento é investimento e não custo, pois a Prefeitura economizará em futuros gastos com saúde nesta comunidade'. E conclui: 'O Instituto Trata Brasil espera que as melhorias apontadas pelos moradores da Vila Dique sirvam como alerta para que os Governos priorizem os investimentos em saneamento básico, sobretudo em coleta e tratamento dos esgotos; e que sirvam de exemplo para outras comunidades lutarem pelo que lhes é de direito'.


Metodologia da pesquisa


Localizada a noroeste da capital do Rio Grande do Sul, ao lado do Aeroporto Internacional Salgado Filho, a Vila Dique é uma comunidade com cerca de 3 mil habitantes. Em 2008, foram liberados recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), para que os moradores da Vila Dique fossem reassentados em uma área de 208,7 mil metros quadrados, localizada na Av. Bernardino Silveira Amorim, que contemplará 1.476 unidades habitacionais, 103 unidades comerciais, creche, escola, posto de saúde, unidade de triagem/reciclagem, duas praças e sede da associação dos moradores. Esse loteamento fica junto ao Porto Seco, próximo de transportadoras e do corredor da av. Baltazar de Oliveira Garcia.


Em parceria com a Pastoral da Criança e Associação Brasileira dos Engenheiros Sanitaristas do Rio Grande do Sul (ABES-RS), o Instituto Trata Brasil passou a acompanhar a transferência das famílias para o novo local. Na primeira fase do projeto, em 2008, foram realizadas 537 entrevistas com moradores da Vila Dique, representando 68,0% do universo de 791 famílias; Em 2011 foram realizadas 290 entrevistas com os moradores, representando 77,5% do total de 404 unidades habitacionais.

As pesquisas tiveram o objetivo de diagnosticar a qualidade de vida e de saúde da população desta comunidade nestes dois momentos, sendo realizadas por jovens da comunidade, que foram treinados e capacitados em técnicas de entrevistas e tabulação dos resultados, palestras sobre saneamento básico e sobre doenças, com profissionais do Posto de Saúde Santíssima Trindade.

 

Copyright 2013 - Instituto Trata Brasil - Todos os direitos reservados.