Inicio
Saneamento
Casos de Sucesso
Santos atinge quase 100% de coleta de esgoto em cinco anos

Santos atinge quase 100% de coleta de esgoto em cinco anos

Santos, situado no litoral sul de São Paulo, é um dos maiores municípios brasileiros que apresentam dados de saneamento satisfatórios por anos. Desde o início da elaboração do Ranking do Instituto Trata Brasil, em 2009, a cidade do litoral paulista figura nas primeiras posições. Nas primeiras edições, Santos chegou a estar na 1ª colocação; com o passar dos anos e a evolução de outros municípios brasileiros, a cidade não ficou mais entre as 5 primeiras, mas ainda é um caso a ser exaltado por manter indicadores altos de saneamento.

Ocupando a 4ª posição no Ranking de 2017, a cidade abastece 100% da população com água tratada, 99% têm acesso à coleta de esgoto, sendo 97% desse esgoto tratado.

Outro indicador que merece destaque é o de perdas na distribuição de água. No ranking atual, 16,46% da água é perdida.

A Sabesp é a responsável pelo saneamento básico do município. O último dado de investimento do município para serviços de água e esgoto foi de R$ 120 milhões nos últimos 5 anos (2011-2015).

  Indicador de atendimento total de água (%) Indicador de atendimento total de esgoto (%) Indicador de Esgoto Tratado por água consumida (%)
2008 100 99 76
2009 100 99 77
2010 100 100 76,76
2011 100 100 76,87
2012 100 100 100
2013 99,97 98,50 76,84
2014 100 98,54 97,60
2015 100 99,88 97,60

Os números de coleta e tratamento dos esgotos caíram em 2013, sobretudo no tratamento. Para a cidade atingir a universalização do tratamento dos esgotos ainda falta mais trabalho nesta área para que pelo menos quase 95% dos esgotos sejam tratados.

O INSTITUTO TRATA BRASIL ENTREVISTOU A SABESP, EMPRESA ESTADUAL DE SANEAMENTO BÁSICO RESPONSÁVEL PELOS SERVIÇOS NO MUNICÍPIO DE SANTOS. LEIA NA ÍNTEGRA:

- Que esforços foram feitos na gestão do saneamento local que fez com que se chegasse a esta posição tão boa?

O que fez a cidade atingir o patamar atual foi um planejamento iniciado há mais de um século, pelas mãos do engenheiro sanitarista Francisco Saturnino de Brito. Ele, além de pensar na solução para o esgoto – com a criação do sistema que coletava e afastava os rejeitos das casas – ainda projetou os canais santistas, para separar água de chuva de esgoto (modelo chamado ‘separador absoluto’, depois adotado em todo o Brasil).

Em 1912 que Saturnino de Brito colocou em operação a estrutura que acabou com a fama de Porto Maldito – devido às doenças associadas ao cais santista, que já haviam matado 22 mil dos 45 mil moradores, bem no auge da exportação de café. Foi a partir desta infraestrutura que Santos pode se expandir para além do porto, passando a ocupar também a região da orla.

Mais atualmente, outro grande investimento que a cidade recebeu foi por meio do programa Onda Limpa, a partir de 2007, da ordem de R$ 1,5 bilhão. Em Santos, o programa investiu cerca de R$ 206 milhões em sua primeira etapa. Entre as obras, a ampliação da Estação de Précondicionamento de Esgotos “Saturnino de Brito”, no bairro José Menino, cuja capacidade foi ampliada de 3500 para 5300 litros por segundo.

Outra implementação foi a construção do novo Interceptor Rebouças, com 2,2 km de extensão e 1,6 metro de diâmetro, instalado ao longo da Avenida Francisco Glicério. O novo interceptor aumentou a capacidade na coleta e transferência dos esgotos gerados na cidade, proporcionando diversos benefícios à população. A obra foi executada por meio de tecnologia não-destrutiva, por baixo da camada de asfalto, reduzindo assim a quantidade de interferência na malha viária.

Além disso, houve implantação de seis sistemas de admissão das águas dos canais, 100 metros de linhas de rede pressurizada, 400 metros de emissário terrestre e ampliação de 400 metros do emissário submarino.

Abastecimento

A cidade de Santos, bem como os outros oito municípios da região, possui fornecimento de água universalizado nas áreas conformes.  

Santos faz parte do Sistema Integrado de Abastecimento da Baixada Santista e recebe água principalmente da ETA Cubatão, que faz parte de um conjunto que abrange outras 14 estações de tratamento.

A distribuição na região é feita por meio de adutoras e 52 centros de reservação interligados, o que possibilita a transferência de volumes de um município a outro de acordo com a demanda.

Santos ainda conta com o maior reservatório de água tratada encrustado em rocha da América Latina, o Reservatório-Túnel Santa Tereza/Voturuá, contruído dentro do maciço rochoso dos morros Santa Terezinha (Santos) e Voturuá (São Vicente). A Obra inaugurada em 1981 possui capacidade de armazenamento de 110 milhões de litros de água (44 piscinas olímpicas) em duas câmaras com 800 metros de extensão, 15 metros de largura e 13 metros de altura (prédio de cinco andares). Este é o principal centro de reservação da região, beneficiando diretamente também São Vicente e indiretamente Praia Grande e Guarujá.

Todo o processo, da tomada da água bruta nos 26 rios de captação até a chegada à torneira do cliente, é controlado à distância online e em tempo real pelo Centro de Controle Operacional da empresa, localizado no Centro de Santos. Deste CCO ainda é possível realizar manobras e tomadas de ações que visam garantir a qualidade e disponibilidade do recurso igualitariamente.

Vale destacar que a disponibilidade hídrica da região é favorecida pela barreira natural formada pela cadeia montanhosa denominada Serra do Mar, o que aumenta a incidência de chuvas, favorecendo para a recuperação dos volumes dos mananciais utilizados para o abastecimento público.

- O que você destacaria como os fatores mais importantes para esse avanço (vontade política, manutenção do foco em saneamento mesmo com mudanças políticas, manutenção dos investimentos, envolvimento da população, outros)

A evolução dos sistemas de saneamento em Santos é uma somatória de fatores e pode ser atribuída desde a condição geográfica e qualidade de nossos mananciais; passando pela visão estratégica desde a época do sanitarista Saturnino de Brito, até a gestão de recursos que apostou na execução de obras visando um horizonte de longo prazo; além do persistente acompanhamento em relação ao crescimento populacional, tendências como a expansão imobiliária e vocação turística da cidade.

Todas estas obras e melhorias fizeram com que Santos atingisse níveis de universalização tanto no atendimento por sistema de esgotamento sanitário como fornecimento de água tratada de qualidade.

- Quanto em investimentos foram feitos nos últimos 5 anos?

FN033 - Investimentos totais realizados pelo prestador de serviços (1.000 R$/ano)

SNIS - Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento

  2009 2010 2011 2012 2013 2014
Santos 183,035 35.563 22.763 23.507 26.209 6.800

 

Veja as fotos

Copyright 2013 - Instituto Trata Brasil - Todos os direitos reservados.