Niterói

A cidade de Niterói, no Rio de Janeiro, tem índices de saneamento básico que melhoram a cada ano. Hoje ocupa a 19ª posição do ranking das 100 maiores cidades.

O abastecimento de água ocorre para 100% da população da cidade, e 94,78% da população tem coleta de esgoto. O índice de tratamento de esgoto é de 100%.

A empresa responsável pelo saneamento e abastecimento do município é a Águas de Niterói que, nos últimos 5 anos (2011-2015), planejou junto a prefeitura investimentos de R$ 150 milhões, com foco na construção de novas estações de tratamentos de esgoto, de acordo com a própria informação da empresa.

  Indicador de atendimento total de água (%) Indicador de atendimento total de esgoto (%) Indicador de Esgoto Tratado por água consumida (%)
2013 100 92,80 92,8
2014 100 93,00 94,92
2015 100 93,10 100
2016 100 94,78 100

Que esforços foram feitos na gestão do saneamento local que fez com que se chegasse a esta posição tão boa?

A Concessionária promoveu grandes investimentos nos sistemas de água e esgoto desde o início de sua atuação em Niterói. Realizou a implantação, ampliação e modernização nos sistemas de distribuição de água, coleta e tratamento de esgoto sanitário, bem como manutenções e melhorias contínuas dos sistemas.

No SISTEMA DE ÁGUA, o abastecimento foi universalizado após três anos da assunção dos serviços, com a implantação do sistema de distribuição de água em regiões desprovidas do serviço, construção de novos reservatórios e adutoras. Dentre as ações, vale destacar:

  • Construção de novos reservatórios, duplicando a capacidade de armazenamento existente no município;
  • Universalização da disponibilidade de água para a cidade, totalizando 1.320 km de redes implantadas no município;
  • Implantação de um moderno Centro de Controle Operacional, que contempla supervisão e controle de todo sistema de distribuição de água;
  • Setorização do abastecimento, com a instalação de macromedição, Válvulas Redutoras de Pressão (VRP) e Distritos de Medição e Controle (DMC), que permite a transmissão de dados em tempo real para o Centro de Controle Operacional;
  • Instalação e substituição do parque de hidrômetros;
  • Implantação do módulo de gestão de serviços e a descentralização das unidades de atendimento, resultando em redução de custo, tempo de atendimento e perda de água;
  • Recadastramento dos clientes;
  • Programa de substituição de redes de distribuição.

Além de universalizar o abastecimento na cidade, essas ações resultaram num rigoroso controle de perdas de água, reduzindo de 43%, em 1999, para os atuais 16,90%, um dos índices de perdas mais baixos do país.

No SISTEMA DE ESGOTO, Niterói possuía apenas 20% do esgoto tratado quando assumida a concessão em 1999, hoje 94,81% de todo o esgoto produzido recebe tratamento. Dentre as principais ações, vale destacar:

  • Construção das Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) Maria Paula, Camboinhas, Itaipu (inclusive sua ampliação de capacidade de tratamento), Centro, Barreto, Jurujuba (inclusive sua modernização) e Mocanguê;
  • Conclusão da ETE Icaraí;
  • Implantação de mais de 350 km de rede coletora de esgoto;
  • Construção de 80 elevatórias de esgoto;
  • Retirada de línguas negras das praias da Zona Sul;

A cidade caminha para a universalização do serviço, com a construção de outras duas estações de tratamento – Sapê e Badu.

 - Quanto em investimentos foram feitos nos últimos 5 anos?

Nos últimos cinco anos foram investidos em torno de R$ 150 milhões.

- O que você destacaria como os fatores mais importantes para esse avanço?

Os principais fatores que merecem destaque são o cumprimento das obrigações contratuais; a parceria entre todos os órgãos, a transparência na comunicação junto à população sobre as ações realizadas para que ocorra o engajamento e participação de todos; a busca incessante na excelência da prestação de serviços; e os investimentos em sua atividade principal, capacitando e valorizando seus colaboradores.

Veja as fotos

(11) 3021-3143
tratabrasil@tratabrasil.org.br