Dia do Piauí: Estado nordestino apresenta desafios no setor de saneamento básico

Apesar das dificuldades, Teresina, capital piauiense demonstra notável melhora nos serviços de água e coleta de esgoto durante os últimos anos

Neste dia, 19 de outubro, é celebrado o Dia do Piauí, essa data marca o movimento libertário do Estado. A Unidade da Federação conquistou a aclamação da Independência no ano de 1822, tornando a província independente de Portugal. Após 199 anos, hoje a população do Piauí corresponde a mais de 3 milhões de habitantes, a capital do estado, Teresina, é a cidade mais populosa com 865 mil cidadãos.

No Piauí, a população sem acesso à água corresponde a 22,9% e os habitantes sem atendimento a coleta de esgoto é de 83,2%, isto é, mais de 2,5 milhões de habitantes não tem acesso a este serviço; na região apenas 16,6% do esgoto produzido é devidamente tratado. Estes dados são do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), ano de 2019, e que também estão disponíveis na plataforma de indicadores do Instituto Trata Brasil, Painel Saneamento Brasil – www.painelsaneamento.org.br

Na área da saúde, é possível observar o impacto dessa ausência de saneamento a partir do estudo lançado pelo ITB neste mês de outubro “SANEAMENTO E DOENÇAS DE VEICULAÇÃO HÍDRICA – ano base 2019” que apresenta um relatório com dados de internações e óbitos relacionados com doenças de veiculações hídricas. O estado do Piauí apresentou mais de 9 mil internações totais por doenças de veiculações hídricas; ao analisar a taxa de incidência de internações a cada 10 mil habitantes a região piauiense apresentou 29,64 hospitalizações, sendo o terceiro estado do país com maiores casos.

Para melhoria na qualidade de vida da população, o Piauí enfrentará desafios na busca pela universalização do saneamento básico. Entretanto, apesar das dificuldades e desafios, a capital do estado, Teresina vem apresentando melhora nos serviços de saneamento básico, a cidade subiu sete posições no Ranking do Saneamento 2021, ocupando a 83ª posição. O Ranking do Saneamento é um estudo realizado pelo Trata Brasil que avalia os indicadores de água e esgotos das 100 maiores cidades do país com base nos dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS).

Até 2033 todo território nacional, incluindo o Piauí, deve cumprir com as metas impostas pelo novo Marco Legal do Saneamento (Lei 14.026/2020), no qual todas as localidades brasileiras irão precisar oferta água para 99% da população e coleta e tratamento dos esgotos para 90% da população. Investir nos serviços de água e esgotamento sanitário resulta em ganhos sociais, ambientais e econômicos para o Estado e, consequentemente, para a população.

NEWSLETTER

CONTATO

(11) 3021-3143