Campo Mourão

 Campo Mourão, no estado do Paraná, foi destaque no evento do Instituto Trata Brasil, “Casos de Sucesso em Saneamento Básico - Municípios e Parcerias Público-Privada 2020”.

Atualmente o abastecimento de água chega para 100% da população. 100% dos habitantes possuem coleta dos esgotos e 87% do volume do esgoto gerado é tratado.
Dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento Básico (SNIS), plataforma de indicadores do Ministério do Desenvolvimento Regional, mostram a seguinte série histórica do município: 

Ano  Indicador de atendimento total de água (%) Indicador de atendimento total de esgoto (%) Indicador de Esgoto Tratado por água consumida (%)
2014 100 80,4 76,9
2015 100 90,3 80,7
2016 100 97 84,2
2017 100 100 86,3
2018 100 100 87,3
2019 100 100 87,7

O INSTITUTO TRATA BRASIL ENTREVISTOU A AEGEA, ÁGUAS DE GUARIROBA, RESPONSÁVEL PELOS SERVIÇOS NO MUNICÍPIO. LEIA NA ÍNTEGRA:

Que esforços você destacaria como fatores mais importantes na gestão do saneamento local e que fizeram com que se chegasse a esta posição tão boa?

Estudar e conhecer o município, seu relevo, seu índice de crescimento, seus corpos hídricos e suas necessidades. Por meio desse estudo, foi possível fazer os projetos das obras necessárias para a universalização do saneamento nesse sistema, dividindo as obras em etapas construtivas definidas por um plano de investimento, revisado anualmente e cumprido. Com a execução de todas as obras programadas, conseguimos atingir e superar as metas previstas nos contratos com a Sanepar, com excelentes índices de atendimento com redes de distribuição de água e de coleta e tratamento de esgoto em Campo Mourão.

Quais desafios e problemas vocês enfrentaram para a melhoria do saneamento básico da cidade? Como resolveram para chegar nos indicadores atuais?

Na execução de obras em áreas já habitadas, temos mais dificuldades e transtornos do que na execução de obra em loteamento que está sendo implantado. O maior desafio é encontrar maneiras de não causar transtornos desnecessários aos moradores, utilizando-se de planejamento, tecnologia, fazendo uma boa fiscalização das empresas contratadas para a execução dos serviços de implantação de rede. Também é preciso cuidar das interferências que são encontradas na execução das obras (como galerias, árvores, calçadas diferenciadas, fossas no passeio, etc.). Para evitar essas questões e para que o município consiga manter os seus índices de atendimento com água e esgoto, o poder público criou uma lei municipal em que todos os novos loteamentos devem entregar, já em sua infraestrutura, redes de distribuição de água e redes coletoras de esgoto. Os projetos passam pela Sanepar que verifica a viabilidade e faz o acompanhamento na execução e testes antes do recebimento, garantindo assim que obra seja executada dentro dos padrões de qualidade.

Investimentos sem uma boa gestão não trazem resultados. E o oposto? É possível ter sucesso com pouco recurso financeiro?

Os investimentos têm que ser bem planejados dentro de um estudo global do município, para que não sejam feitas obras super ou subdimensionadas, a fim de otimizar a utilização dos recursos, principalmente quando estamos tratando de obras de saneamento básico, que, em geral, possuem custos bastante elevados e devem ser otimizadas, pensando-se na sua eficiência, no tempo de utilização, nos resultados para a população, no cuidado com o meio ambiente. Na Sanepar, nós planejamos para que todo recurso possa ser utilizado do modo mais eficiente. Em Campo Mourão, estamos colhendo bons frutos.

Que conselhos vocês dariam aos gestores e empresas operadoras de outras cidades para que consigam melhorar os indicadores de saneamento?

Estudem e conheçam a cidade, estipulem metas e prazos e programem os investimentos necessários para atingir essas metas, sempre dentro do estudo de viabilidade financeira. Todas as etapas têm que ser bem cumpridas para que se alcance o sucesso desde o estudo, o projeto, a execução da obra até a operação do sistema e as suas manutenções. E visitem a Sanepar para ver como estamos trabalhando.

Veja as fotos

NEWSLETTER

CONTATO

(11) 3021-3143