Com a universalização do saneamento, o estado do Maranhão pode alcançar altos ganhos sociais, ambientais e econômicos

Estudo realizado pelo ITB aponta que no período de 2021 a 2055, haverá um movimento crescente de geração de emprego num patamar de 53 mil postos de trabalho na região.

O estudo “Benefícios Econômicos e Sociais da Expansão do Saneamento no Maranhão”, realizado pelo Instituto Trata Brasil em parceira com a Ex Ante Consultoria Econômica, apresenta os ganhos sociais, ambientais e econômicos que a universalização do saneamento básico resultaria para o estado maranhense, que possui grandes desafios em relação aos serviços de água tratada, coleta e tratamento de esgotos.

No diagnóstico do estudo é demonstrado que se o Maranhão não investir na universalização do saneamento, o estado pode perder R$ 21,3 bilhões em benefícios sociais e ambientais. Para análise dos ganhos com a universalização do saneamento básico no futuro para os próximos anos, o estudo avalia dois períodos: de 2021 a 2040, que é o tempo definido pelo novo marco regulatório do saneamento, e o de 2021 a 2055, que é a extensão temporal usualmente empregada em contratos de concessão ou subconcessão. O estudo aponta que para alcançar a universalização é necessário investimentos de R$ 6,3 bilhões.

Além desses recursos serem capazes de incorporar quase 4 milhões de pessoas no sistema de distribuição de água tratada e cerca de 6 milhões de pessoas no sistema de coleta de esgoto, a universalização levará a outros diversos benefícios para a melhoria da qualidade de vida da população maranhense.

Na área da saúde, é previsto que com a universalização a economia total com a melhoria das condições de saúde da população do estado do Maranhão pela chegada do saneamento, entre 2021 e 2055, deve ser de R$ 80,2 milhões ao ano ou de R$ 2,8 bilhões no período.

Com melhores condições de saneamento básico no futuro, estima-se que no Maranhão haverá um forte aumento da produtividade do trabalho. O aumento de renda do trabalho com a expansão do saneamento entre 2021 e 2055 será de R$ 86,8 milhões ao ano ou de R$ 3 bilhões no período.

Outro dos diversos benefícios analisados pelo estudo com a universalização do saneamento, é na valorização imobiliária. Estima-se que o ganho para os proprietários de imóveis que alugam ou que vivem em moradia própria será de R$ 73 milhões por ano no conjunto do estado do Maranhão, o que totalizará um ganho a valor presente de R$ 2,5 bilhões entre 2021 e 2055.

A renda com o turismo deve alcançar R$ 63,7 milhões ao ano ou de R$ 2,2 bilhões no período, entre 2021 e 2055. Devido a melhora nos serviços de coleta e tratamento de esgoto, esse ganho é fruto da valorização ambiental que pode ser obtida com a melhor balneabilidade das praias, da despoluição dos rios e córregos e a oferta universal de água tratada, pré-condição para o pleno exercício do turismo.

O saneamento básico está além da melhoria dos serviços de água tratada, coleta e tratamento de esgoto. No estudo é demonstrado que o Maranhão seria um dos estados brasileiros que teria os maiores ganhos nos âmbitos sociais, ambientais e econômicos com a universalização do saneamento, podendo assim se desenvolver de maneira promissora para o futuro.

NEWSLETTER

CONTATO

(11) 3021-3143