Limeira

Limeira, cidade localizada no interior de São Paulo, ocupa a 11ª posição no Ranking do Saneamento de 2020.

O município abastece 97,02% da população com água tratada e 97,02% dos moradores têm coleta de esgoto. Além disso, 100% do volume de esgoto é tratado.

Limeira é destaque pela eficiência no controle às perdas de água na distribuição, que acontece por meio de “gatos”, furtos ou vazamentos. Antes de chegar às residências, 19,78% da água produzida é perdida.

  Indicador de atendimento total de água (%) Indicador de atendimento total de esgoto (%) Indicador de Esgoto Tratado por água consumida (%)
2014 97,02 97,02 100
2015 97,02 97,02 100
2016 97,02 97,02 100
2017 97,02 97,02 100
2018 97,02 97,02 100

O INSTITUTO TRATA BRASIL ENTREVISTOU A EMPRESA BRK AMBIENTAL, RESPONSÁVEL PELOS SERVIÇOS NO MUNICÍPIO. LEIA NA ÍNTEGRA:

 

Que esforços foram feitos na gestão do saneamento local que fez com que se chegasse a esta posição tão boa?

O que permitiu que Limeira chegasse à posição de referência em saneamento no país, foram os investimentos constantes realizados, ao longo de 25 anos, nos serviços concedidos à iniciativa privada. Desde 1995, o município recebeu cerca de R$ 500 milhões em investimentos nas diferentes frentes de atuação da concessionária responsável pelos serviços de água e esgoto. Recursos aplicados em equipamentos e infraestrutura (redes, estações de tratamento, reservatórios, elevatórias, equipamentos, entre outros, tanto para a produção e distribuição de água, quanto na coleta, afastamento e tratamento de esgotos), na gestão da qualidade dos processos, atenção aos recursos hídricos, melhoria contínua na satisfação do cliente, além de qualificação da equipe.

 

O que você destacaria como os fatores mais importantes para esse avanço?

Primeiramente se faz necessário destacar que em 25 anos de serviços em Limeira, a concessionária nunca deixou de investir. No início, os investimentos foram direcionados ao sistema de água... precisávamos solucionar um problema crônico do município que era a não regularidade no abastecimento, aliado a baixa qualidade da água distribuída. Em seguida vieram os investimentos para o sistema de esgotamento sanitário. Primeiro, para afastar o esgoto da área urbana; em seguida para ampliar a coleta e, na sequência, a tão necessária universalização no tratamento de esgoto, ou seja, garantir que todo o esgoto coletado na cidade também fosse devidamente tratado antes de ser devolvido aos rios. Com todos esses investimentos em infraestrutura já realizados, em conjunto com melhorias em procedimentos operacionais, comerciais e administrativos, e resultados já considerados como referência nacional, ainda continuamos investindo.

Os investimentos em saneamento devem ser contínuos e perpétuos em uma cidade, porque na medida que você alcança a universalização dos serviços, o município continua seu crescimento vegetativo, e nossos sistemas têm que estar preparados para atender a todos e a qualquer tempo. Além disso, a modernização das estruturas se faz necessária e deve ocorrer continuamente.

Além da manutenção dos investimentos e foco em saneamento, baseado em conceitos técnicos e não políticos, também destacamos como fatores necessários para avanços o envolvimento da população em relação ao tema. Para que um município possa evoluir em saneamento também é preciso que haja o comprometimento de toda a comunidade para o bom funcionamento dos sistemas, seja no uso consciente de água, na interligação ao sistema público de esgoto ou no descarte adequado de resíduos. Todas as pessoas precisam assumir seu compromisso socioambiental junto à comunidade.

O bom desempenho da Concessionária levou a conquista da população e dos ocupantes do Poder Executivo ao longo destes 25 anos, constituindo assim uma verdadeira parceria público e privada.

 

Como outras cidades podem melhorar os indicadores de saneamento?

Para a melhoria dos indicadores de saneamento se faz necessário investir e garantir a manutenção desses investimentos, baseado num projeto contínuo e com boa gestão, tendo como aliado o compromisso do bom atendimento da população.

 

Quais tipos de problemas identificaram em relação ao saneamento básico da cidade? Como resolveram para chegar nos indicadores atuais?

25 anos atrás quando ocorreu a concessão dos serviços de água e esgoto à iniciativa privada em Limeira - medida pioneira no país – o saneamento do município apresentava um quadro muito diferente do atual. Eram 55 mil ligações de água, hoje são cerca de 105 mil ligações, praticamente dobrou. O sistema de abastecimento de água era incapaz de abastecer toda a cidade; a produção de água era cerca de 25% menor do que a demanda que existia na época. Tinha rodízio em grande parte da cidade. E o quadro mais agravante de, praticamente, todos os córregos que cortam a área urbana da cidade, terem lançamento de esgoto in natura. Apenas 2% do esgoto gerado no município eram tratados naquela época.

Passados 25 anos, e realizando os investimentos necessários com um projeto de saneamento contínuo e estruturado, temos alcançado os resultados dos atuais indicadores. Dificuldades sempre tivemos, problemas sempre enfrentamos, mas sempre procuramos crescer junto com os desafios para que pudéssemos levar um serviço de qualidade, de referência que é o que temos hoje em Limeira.

 

Investimentos sem uma boa gestão não trazem resultados. E o oposto? É possível ter sucesso com pouco recurso financeiro?

O saneamento exige uma força conjunta, entre investimento e gestão.

Investimentos sem uma boa gestão podem trazer resultados imediatos, porém não contínuos. Já o oposto, pode trazer alguns resultados, mas de forma mais morosa e, nem sempre, expressivos.

Veja as fotos

(11) 3021-3143
tratabrasil@tratabrasil.org.br
Desenvolvido por DMSNet