Logo Trata Brasil

>Trata na Comunidade: “Cheguei a perder uma filha por problemas respiratórios devido ao local inóspito que vivíamos”

Conheça o relato de uma das moradoras da Vila Dique, comunidade que foi impactada pelo projeto social do ITB

Na busca de legitimar as ações realizadas em prol ao saneamento básico, o Instituto Trata Brasil atua por meio de projetos sociais em diferentes eixos, mas com o objetivo de auxiliar e conscientizar comunidades vulneráveis na questão dos serviços básicos. Uma das primeiras ações feitas pelo ITB foi o projeto na Vila Dique (RS), em 2008. A ação fez parte do eixo ‘Trata na Comunidade’ que tem como intuito acompanhar a evolução da qualidade de vida das pessoas que vivem em localidades carentes, antes e depois de receberem os serviços de saneamento básico.

Para a elaboração do projeto na Vila Dique, o Governo Federal, com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a Prefeitura de Porto Alegre, a Pastoral da Criança e líderes da comunidade se uniram juntamente ao ITB para levar o saneamento aos moradores. Comunidade carente localizada em Porto Alegre (RS), entorno do Aeroporto Salgado Filho em Porto Alegre (RS), a Vila Dique  era um local de aglomerado de casas de madeira, em sua maioria, sem condições mínimas de infraestrutura, habitação e, principalmente, sem coleta de esgoto – foram detectadas aproximadamente 1.500 famílias sem este serviço.

“Fui moradora da Vila Dique por muitos anos e a nossa comunidade por ser de uma área irregular não tinha direito ao saneamento básico. O acesso à água era precário, no qual, os moradores iam compartilhando uns com os outros e, o serviço de coleta de esgoto era a céu aberto, sem infraestrutura nenhuma. Toda essa questão trouxe problemas, principalmente para as nossas crianças, que tinham com frequência diarreia e infecções na pele, entre outras doenças. Os adultos também eram impactos, além de doenças, a comunidade sofria com baixo peso e até mesmo baixa autoestima” – relata Enedina Espindola, uma das habitantes da Vila Dique. 


Foto – Comunidade Vila Dique

O projeto aconteceu em duas etapas, em 2008 e 2011, em que foram aplicadas pesquisas que levantaram dados comparativos sobre momentos distintos da comunidade. Com a liberação dos recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a comunidade começou a ser transferida para um novo bairro, com garantia de acesso à infraestrutura de saneamento básico – serviços de água encanada e rede de esgoto.

O maior objetivo do projeto era comprovar, por meio de evidências reais, que o atendimento à coleta e tratamento de esgoto melhoram de forma imediata a vida de quem diretamente sofria com a ausência desses serviços, e vivia com os impactos negativos na saúde e na baixa qualidade de vida na comunidade.

“Através do Instituto Trata Brasil, nós começamos a ter o conhecimento sobre os nossos direitos, que nos trouxe o ensinamento sobre a importância do saneamento básico na vida das nossas famílias. Logo após a mudança de comunidade, fomos morar em um local com saneamento, água encanada e um sistema de esgoto, ou seja, tinha tudo naquele lugar que não tínhamos antes. Com o apoio do Instituto, a comunidade foi aprendendo através da pesquisa realizada feita na área irregular e depois na área que fomos assentados. Então assim, começamos a ver a diferença e a importância do acesso ao saneamento. Nossa qualidade de vida mudou em 90% para melhor com os serviços básicos” – ressalta Enedina.

Foto – Moradores da Vila Dique após o Projeto do ITB

Entre os principais resultados da pesquisa foi observado que, em 2008, 90% do esgoto doméstico era lançado em um córrego que passa ao lado do bairro. Com a mudança de endereço, a totalidade do esgoto foi destinada a uma estação de tratamento inaugurada com as unidades habitacionais. A Vila Dique sofria com muitas doenças, conforme 67% dos moradores relataram na pesquisa. Após a transferência das famílias para o conjunto habitacional, em 2011, a ocorrência de doenças caiu pela metade, de 19% para 8%. Em relação às doenças de veiculação hídrica, foram registrados 102 casos de enfermidades no ano de 2008, em que 61 eram relacionados à falta de saneamento. Em 2011, houve 25 casos de doenças para todas as faixas etárias. Não foram registrados casos de outras doenças relacionadas com a falta de saneamento básico, diferentemente do que em 2008.

“Nossa vida mudou para melhor e até hoje está na memória de todos aqueles que foram moradores da Vila Dique, a importância de termos conhecido esse serviço tão importante para a vida e a sobrevivência do ser humano que é o saneamento básico. Hoje eu tenho uma vida tranquila, entretanto na época, eu cheguei a perder uma filha por problemas respiratórios devido ao local inóspito que vivíamos. Enfim, agradeço ao Instituto Trata Brasil por todo conhecimento que pude adquirir para entender como o saneamento básico é essencial na vida e espero que mais pessoas possam lutar pelo direito do saneamento e da saúde para todas as famílias” – finaliza Enedida.