Logo Trata Brasil

>Acesso pleno ao saneamento resultará em ganhos socioeconômicos para população brasileira

Estudo realizado pelo ITB aponta redução da pobreza a partir da universalização dos serviços básicos

Direito de todo cidadão, o saneamento básico ainda é precário no país. Ainda existem 35 milhões de brasileiros sem acesso à água potável e quase 100 milhões de habitantes não possuem atendimento de coleta de esgoto. Não obstante, apenas 50,3% do esgoto gerado é tratado, ou seja, o Brasil despeja cerca de 5.522 piscinas olímpicas de esgoto sem tratamento diariamente na natureza. No índice de perdas de água, 39,2% do recurso hídrico é desperdiçado antes mesmo de chegar nas residências do país.

A ausência do saneamento traz prejuízos à qualidade de vida da população e à economia do país, influenciando no presente e no futuro a desigualdade social  na sociedade brasileira. Segundo o estudo O Saneamento e a vida da mulher brasileira 2022”, lançado pelo Trata Brasil, em parceria com a BRK Ambiental, o acesso universal ao saneamento básico tiraria 18,4 milhões de mulheres da condição de pobreza, isto é, o número de mulheres vivendo abaixo da linha de pobreza passaria de 21,7 milhões para 3,4 milhões. Em relação à população masculina, a universalização do saneamento possibilitaria que 14,3 milhões de homens saíssem da condição de pobreza.

Sendo assim, pela melhoria no saneamento, quase 33 milhões de brasileiros observariam algum grau de ascensão social. Conforme dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, aproximadamente 62,5 milhões de habitantes vivem abaixo da linha da pobreza. Em 2021, o Banco Mundial considerou que pessoas com renda até R$ 486 sofrem dessa condição.

Além disso, o acesso aos serviços de água e esgotamento sanitário poderá impactar positivamente no sistema educacional do país. De acordo com o estudo, “Benefícios Econômicos e Sociais da Expansão do Saneamento no Brasil”, espera-se uma redução de aproximadamente 6,2% do atraso escolar, possibilitando ao estudante um desenvolvimento pleno durante a época da escola. Resultado da diminuição de faltas por doenças associadas a ausência de saneamento. Para as futuras gerações, isso eleva a produtividade do trabalho e o efeito sobre a remuneração.

A infraestrutura tem o potencial de mudar o Brasil, estruturando um legado para o futuro. Em busca desse objetivo, o país deve alinhar seus esforços para políticas públicas, projetos e parceiras que visam universalizar o saneamento básico até 2033.