Logo Trata Brasil

>Investimento em saneamento por habitante em Mato Grosso é maior que a média nacional 

Estudo do Trata Brasil aponta que o estado teria diversos benefícios socioeconômicos com a universalização dos serviços básicos

Estado da Região Centro-Oeste do país, Mato Grosso abriga mais de 3,6 milhões de habitantes. Cerca de 87,0% da população é atendida com água potável e 40,3% têm acesso à coleta de esgoto, enquanto 40,9% do esgoto gerado é tratado – volume que representa o despejo de 79 piscinas olímpicas  de esgoto sem tratamento no meio ambiente todos os dias. Ademais, o estado perde 45,4% da água potável nos sistemas de distribuição, ou seja, todo esse volume é desperdiçado antes de chegar às residências.

Ainda com desafios para cumprir com as metas para universalização do saneamento, isto é, atender 99% dos habitantes com água potável e 90% com coleta e tratamento de esgoto até 2033, Mato Grosso deve fomentar cada vez mais o investimento para a melhoria dos serviços básicos, visando a ampliação do saneamento para toda a sua população. Segundo informações do Sistema Nacional de Saneamento Básico (SNIS), ano-base 2022, o estado investe cerca de R$ 153,08 por habitante em saneamento básico, enquanto a média nacional é de R$ 111,44. Entretanto, apesar de ser maior que a média nacional, o valor investido per capita está abaixo do necessário para universalização como previsto pelo Plansab – para cumprir com as metas até 2033, o investimento deve ser em cerca de R$ 231.09 por habitante.

Para mensurar os benefícios advindos do acesso pleno ao saneamento em Mato Grosso, um estudo do Instituto Trata Brasil mostra que os ganhos no estado seriam de R$27,9 bilhões, indicando um balanço social bastante positivo para a região. O que indica que para cada R$1,00 investido em saneamento, Mato Grosso deve ter ganhos sociais de R$4,80, um retorno maior que o esperado para a região Centro-Oeste do Brasil e para a média nacional. 

Sendo assim, é imprescindível que o estado  continue os esforços para ampliar o saneamento e promover mais investimento para a infraestrutura. A universalização dos serviços de água e esgotamento sanitário impactará e deixará um futuro promissor para a população mato-grossense.